Sexta-feira, dia de penitência

Tende piedade, Senhor, pois pecamos contra Vós!

O Catecismo da Igreja Católica nos ensina nestas palavras sobre o verdadeiro sentido das penitências:

Como já acontecia com os profetas, o apelo de Jesus à conversão e à penitência não visa primariamente as obras exteriores, «o saco e a cinza», os jejuns e as mortificações, mas a conversão do coração, a penitência interior: Sem ela, as obras de penitência são estéreis e enganadoras; pelo contrário, a conversão interior impele à expressão dessa atitude com sinais visíveis, gestos e obras de penitência. (Cf. Jl 2, 12-13: Is 1,16-17: Mt 6, 1-8.16-18) (CIC § 1430)

E a Igreja nos chama a realizar estas obras de penitência juntos, como Igreja:

Todos os fiéis, cada qual a seu modo, por lei divina têm obrigação de fazer penitência. (…) Os dias e tempos de penitência na Igreja universal são todas as sexta-feiras do ano e o tempo da Quaresma. (Cân. 1249 e 1250)

«Tomar a sua cruz todos os dias e seguir Jesus é o caminho mais seguro da penitência.» (CIC § 1435) Como bem ensinou São João Bosco ao menino São Domingos Sávio, enquanto este tentava mortificar-se de todas as maneiras possíveis, ao ponto de danificar-lhe a saúde: “Seja sempre alegre. Faça bem feito todas as coisas.” Também nos ajuda São Josemaria Escrivá: “Vale tão pouco a penitência sem a contínua mortificação!” (Caminho, § 223) Sem dúvidas, a constância das boas obras nos leva a melhor estar na presença de Deus, com a sincera vontade de mortificar nosso corpo em favor do perdão dos nossos pecados.

Meu Deus, eu creio, adoro, espero e amo-Vos. Peço perdão para os que não creem, não adoram, não esperam e não Vos amam.
Santíssima Trindade, Pai, Filho e Espírito Santo, adoro-Vos profundamente e ofereço-Vos o preciosíssimo Corpo, Sangue, Alma e Divindade de Jesus Cristo, presente em todos os sacrários da terra, em reparação dos ultrajes, sacrilégios e indiferenças com que Ele mesmo é ofendido.
E pelos méritos infinitos do Seu Santíssimo Coração e do Coração Imaculado de Maria, peço-Vos a conversão dos pobres pecadores.
(Oração do Anjo da Paz, o Anjo de Portugal, aos três Pastorzinhos de Fátima)

Como Igreja em saída, levemos a todos a alegria do evangelho, mortifiquemos nossa carne em favor dos pecadores e sobretudo adoremos o Senhor no Santíssimo Sacramento.

Leia mais do Catecismo da Igreja Católica pelo site do Vaticano.
Leia mais do Código de Direito Canônico pelo site do Vaticano.
Leia mais de Caminho, de São Josemaria Escrivá, pelo site Escrivá Works.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s